Sucedeu que Jesus estava algures a orar. Quando acabou, disse-lhe um dos seus discípulos: «Senhor, ensina-nos a orar, como João também ensinou os seus discípulos.» Disse-lhes Ele: Quando orares, vai para teu quarto, fecha a porta e ora a teu Pai.

E ensinou-lhes o Pai Nosso

É interessante notar que a oração do Pai-Nosso, ensinada por Jesus aos discípulos (Mt 6, 9-13 e Lc 11, 2-4) tem uma dinâmica semelhante às reuniões de oração dos grupos do Renovamento Carismático Católico.

Senão, veja-se:

Pai-nosso

A reunião de oração é um encontro de irmãos, que se amam, que se reúnem com o objetivo de louvar e bendizer o Pai comum, e bendizer e amar a comunidade, os irmãos. È essa a acção do Espírito.

A oração do Pai-Nosso começa com um louvor a Deus “Santificado seja o Teu Nome”.

Também os encontros de oração se iniciam com cantos de acolhimento, de louvor, e oração espontâneas de louvor. O Nome de Deus é louvado, bendito, cantado. Muitos dos cânticos são sobre esta temática, o louvor. O renovamento tem uma espiritualidade de louvor!

“Venha a nós o Teu Reino”

Na Bíblia, o Reino de Deus é apresentado como um reino, com um Rei com septro de equidade (Hb 1,8), um Rei que reinará pelos séculos  sem fim (Lc 1,33), um Rei que venceu a morte, e trouxe a salvação, a força e o poder (Ap 12,10). Uma descrição que apresenta um Rei que virá um dia julgar o homem, e estabelecerá um reino de justiça, paz e alegria no Espírito Santo (Rm 14,17).

Nas palavras de Jesus, porém, este Reino de Deus não está aqui nem ali, mas dentro de nós. (Lc 17,21), e assemelha-se, por exemplo, ao fermento que leveda toda a massa (Lc 13,20-21). O Reino de Deus é como algo que já temos e que nos transforma por dentro.

Clarke comenta esta passagem do Pai-Nosso, comparando-a com a transformação do homem velho para o homem novo, acontecendo assim o Reino de Deus em nós, pela acção do Espírito Santo. O reino dos céus é dos pobres de espírito, diz Jesus (Mt 5,3), dos que se fazem pobres,  dos que recebem o Reino já hoje, com esta atitude…

Depreende-se pois que o Espírito Santo é o grande agente no Reino de Deus. Ele é o transformador, que nos transforma e molda à medida do Reino.

Por isso, nesta fase inicial, os grupos evocam o Espírito Santo, um momento solene e, digamos, obrigatório, na oração. Pedir ao Espírito que nos assista, que nos ensine a rezar, mas que também nos transforme, para podermos ver a glória do Seu Reino, e um dia entrar nEle. Juntamente com a evocação do Espírito, é habitual uma oração, para muitos estranha, uma glossolália, um rezar em línguas que não se entende, mas que forma uma verdadeira onda de amor e união no grupo, e que o Espírito Santo reconhece e leva-a até ao Pai. O grupo entrega-se, como um bebé saciado se acalma no colo da mãe, que é Deus. (Sl 131,2).

Depois de um tempo de humildade, confiança e silêncio, damos lugar ao Espírito Santo, que em geral, se manifesta. Os carismas surgem dum modo mais forte e evidente, seja uma profecia, uma palavra de conhecimento, uma cura física ou interior, etc…

“Seja feita a Tua vontade”

“O Senhorio de Jesus”, “Jesus Cristo é o Senhor”, são marcas indeléveis do Renovamento.

A entrega, o abandono, o reconhecimento de Jesus como Senhor é uma dominante durante toda a oração, aliás são atitudes intrínsecas ao renovamento. Faz parte do objetivo de todos os empenhados,  que receberam na Efusão do Espírito, o desejo de uma vida nova, o desejo de caminhar com o  Espírito, que nos leva ao Senhorio de Jesus.

“Jesus Cristo é o Senhor”, é o lema de qualquer verdadeiro carismático!

“O pão nosso de cada dia nos dai hoje”.

Não só o pão físico, mas também o pão espiritual.

Este pão espiritual, nas reuniões de oração, é a Palavra de Deus. Seja um salmo, seja uma passagem bíblica. Depois da sua leitura, em ambiente de oração, cada um é convidado a partilhar o que lhe disse a Palavra, como tocou no  seu coração, como tocou na sua vida, como lhe serviu de alimento.

“Perdoai as nossas ofensas, assim como perdoamos a quem nos ofendeu”

Deus perdoa a quem se arrepende, a quem se humilha e perdoa ao outro. O orgulho e a auto-suficiência podem tornar-se os principais obstáculos à descoberta do Reino. São os ricos, que não se fazem pobres, e que dificilmente entram no Reino de Deus (Mt 19,24)

Nos grupos do renovamento, em particular durante a oração, o Espírito Santo, vai moldando os corações, leva à humildade e ao perdão, rebaixa o orgulho e o egoísmo, e promove a unidade e a partilha. (At 2,44).

Livrai-nos do Mal

Nossa Senhora também é evocada e louvada.

Ela, imaculada esposa do Espírito Santo, se Lhe pedirmos, pode afastar de nós o Demónio, esmagando-lhe a cabeça com o calcanhar. (Gn 3,15)

O Renovamento Carismático Católico em Portugal, foi consagrado à Virgem Santa Maria, em Fátima, na Capelinha das Aparições, em Novembro de 1974, pelo Sr Pe José da Lapa.

Maria é a protetora e intercessora do Renovamento.

Que Maria nos proteja, interceda por nós e nos ajude a livrar-nos do Mal!

Amen