Quadro síntese - A reunião de oração

Votos de utilizador:  / 1
FracoBom 

 

 

COMPONENTES DA REUNIÃO DE ORAÇÃO  

DESIGNAÇÃO

OBJECTIVO

OBSERVAÇÕES

 

ACOLHIMENTO

 

Boas-vindas. Transmitir simpatia, calor humano, amor. Criar comunidade.

 

Cadeiras devem estar dispostas em círculo. O centro é do Senhor, para quem nos voltamos.

 

 

ANIMAÇÃO / LIBERTAÇÃO

 

Libertação e entrega dos problemas, projectos e preocupações que enchem a nossa mente, para podermos voltar toda a nossa atenção para o Senhor.

 

Cantam-se cânticos fortes e animados, com gestos que envolvem todo o corpo, mobilizando todo o ser para a oração.

Entregamos ao Senhor toda a nossa vida, as coisas boas e as menos agradáveis, na confiança de que Ele sabe o que é melhor para nós.

 

 

INVOCAÇÃO  

DO

 ESPÍRITO  SANTO

 

 

Pedir ao Espírito Santo que abra os nossos corações,  coloque o louvor nos corações e nos lábios de todos, eleve os nossos olhos até ao Pai e a Jesus e Se derrame sobre nós com os Seus dons.

 

 

 

 

 

Assumimos, assim, que é o Espírito Santo agindo no nosso íntimo que nos permite penetrar na Vida trinitária que Deus tem para nós.

 

 

 

 

Todos os dons se podem manifestar em qualquer dos participantes e não apenas em alguns, pelo que todos devem estar disponíveis e não pôr obstáculos mentais à acção do Espírito.

 

 

Canta-se um cântico específico ao Espírito Santo. Normalmente na decorrência desse cântico, o grupo entra numa oração ou cântico em línguas, que se prolonga por algum tempo. Terminam quase todos em simultâneo. Depois dessa oração faz-se um silêncio prolongado.

Profecia - palavra dirigida pelo Senhor ao grupo ou a algum membro. Aquele que a recebe sente como que uma mensagem que se forma dentro de si, e tem a noção insistente de que tem de a anunciar. Por vezes, acontece a mesma mensagem ser colocada no coração de alguns membros do grupo, que nesse caso, deverão dizer “Confirmo”, após a primeira profecia ser dita. Após uma profecia faz-se um silêncio de acolhimento e em seguida, agradece-se ao Senhor a Palavra dirigida aos Seus filhos. Uma profecia verdadeira é sempre de exortação e animação, nunca é de crítica ou destrutiva.   

Profecia em línguas - a mensagem pode surgir como a premência de fazer uma oração em línguas em voz alta. Neste caso, faz-se um silêncio até que o Senhor dê a interpretação da profecia em línguas, geralmente a outra pessoa. Quando a profecia é verdadeira, o Senhor concede sempre a interpretação. A outra pessoa recebe o sentido da mensagem e transmite ao grupo.

 

LOUVOR

E

ACÇÃO DE GRAÇAS

 

 

O louvor é o clima de fundo em que se desenrola toda a reunião de oração.

 

Cantar a glória de Deus e celebrar a Sua grandeza e bondade.

 

 

 

 

O louvor em grupo é a oração que nos realiza como humanos; é fazer aquilo para que fomos criados: juntos, adorar e glorificar Deus.

 

 

Oração livre e espontânea. Com palavras, cânticos, gestos, canto em línguas e silêncios. Louvamos Deus pelo que é, pelo que faz na Criação e pelo que faz nas nossas vidas. Todos devem participar.

O louvor brota da alma, da nossa ânsia profunda por Deus (não do sentimento).

 

É frequente que alguém passe a rezar em línguas que ninguém conhece ou estudou.


 

 

 

LEITURA DA PALAVRA

 

Receber, entender e acolher a Palavra de vida que o Senhor tem para os seus filhos, que nos alimenta e orienta.

 

 

Um membro do grupo lê uma passagem da Bíblia (alguns versículos) em voz alta, enquanto os outros acompanham pelas suas Bíblias, que trazem sempre consigo para a oração. Pode ser uma leitura escolhida pela equipa orientadora na preparação da reunião ou alguma leitura que surja nesta altura, por impulso do Espírito.

É feito um comentário breve, em tom de oração ou de meditação, louvando o Senhor por aquele(s) versículo(s) que tocou mais os membros do grupo. Poderá ser feito apenas pelo leitor, por alguns ou por todos os membros do grupo, conforme a dimensão do grupo e as circunstâncias. Não deve degenerar em discussão animada.  

 

 

ENSINAMENTO  e/ou  TESTEMUNHO  e/ou  PARTILHA,  segundo o discernimento da equipa orientadora.

 

 

ENSINAMENTO

 

Levar todos aos pés do Senhor; conduzir as pessoas ao louvor e ao amor; amadurecer a fé; construir a comunidade; mostrar os planos e a vontade do Senhor; ensinar a viver como Deus quer.

 

 

Deve durar 15 a 30 minutos.

Não são aulas de formação bíblica, teológica ou pastoral.

 

TESTEMUNHO

 

Testemunhar a acção de Deus e a Sua passagem pela vida dos membros do grupo.

 

A partilha faz crescer a fé em todo o grupo, conforta e anima. Faz perceber que o Senhor está vivo, tal como há 2000 anos e está no meio do Seu povo.

 

 

PARTILHA

 

Partilhar comunitariamente as diferentes experiências de vida no Espírito e caminhada espiritual.

 

Nas reuniões de equipas de discernimento pode também haver troca de ideias sobre o andamento e os projectos de acção do grupo.

 

 

INTERCESSÃO  E  SÚPLICA

 

Reconhecer a bondade, amor e poder de Deus e que somos seus filhos, a quem o Senhor quer felizes.

 

Pedimos ao nosso Pai pelas nossas necessidades, pelos presentes e pelos ausentes, pelos sãos e pelos enfermos, pelos pobres e marginalizados, pelo trabalho, pela saúde, pela felicidade, pela paz, pela Igreja, pelo mundo inteiro.

Quando se reza por alguém presente, é costume impor as mãos sobre essa pessoa, em sinal de solidariedade. Os que têm dom de línguas, rezam em línguas. Frequentemente é durante ou após estas orações que se verificam conversões, curas e milagres, também em pessoas distantes.

 

 

CONCLUSÃO

 

Sintetizar a mensagem da reunião.

 

As pessoas despedem-se e dispersam-se, mas mantêm a união.

 

Quem orientou a reunião faz a síntese do que foi a mensagem geral que o Senhor quis transmitir ao grupo nesta reunião.

Fazem-se alguns avisos, combinam-se coisas para a reunião seguinte. Por fim, reza-se o Pai-nosso, geralmente de mãos dadas e outras orações finais, canta-se um cântico e todos partem, unidos em espírito.

 

 

NOTAS IMPORTANTES:   SILÊNCIO: Para além do encontro colectivo com Jesus, é necessário que cada um possa, no seu íntimo e em privado, ter momentos em que possa falar-Lhe dos sentimentos íntimos que vão na alma e ouvir o que Jesus tem para lhe dizer pessoalmente, por meio do Espírito. É preciso proporcionar esse encontro pessoal, com momentos de silêncio durante os vários tempos da oração.   CANTO: O canto é muito importante, durante toda a reunião. O ministério do canto tem de garantir que são cantados cânticos de acordo com a profundidade do momento e com os temas que vão surgindo.   ESQUEMA: Este esquema não é rígido. O Espírito Santo sopra onde quer e como quer. Há que estar atentos e dóceis às moções do Espírito.

 

 

 

[página anterior]