es1.jpgmochiladafe.jpgpomba_evangelizar.jpgslide_ouro.jpg

Amigo, ao visitares este “site” perguntaste: “Quem sois vós?” Agora que já nos conheces um pouco, e mais nos conhecerás na medida em que nos acompanhares, como amigo te sugerimos: entra neste barco, pergunta, dialoga e fica connosco, e também dirás como João Baptista: “Vi o Espírito Santo a descer do Céu como uma pomba e a permanecer sobre Ele”. Jesus, como a nós, também a ti quer dar uma Vida Nova, pela graça da “Efusão/Baptismo no Espírito Santo”.

Pe José da Lapa

 

 

Quando usamos o termo carismático não se deve em primeiro lugar aos carismas. Alguém pode ter carismas e não ser carismático! Alguém pode ter carismas, orar em línguas, até ter palavras de ciência, discernimento dos espíritos e não se deixar levar pelo Espírito!

 

Quem é o verdadeiro carismático? Aquele que é movido e dirigido pelo Espírito Santo. Movido e dirigido. Primeiro: Movido como um motor do carro. De que adianta um carro sem motor ou com o motor avariado? Na vida cristã, na vida no Espírito, o motor que impulsiona é o Espírito Santo. E, ao mesmo tempo, Ele é o motorista. Um carro que tenha um motor forte mas não tenha motorista, provoca um desastre, vai bater noutro carro e atropelar pessoas! O verdadeiro carismático (e aí entra o Renovamento Carismático) é-o, em primeiro lugar, no sentido em que é o Espírito Santo quem o move e dirige; em segundo lugar, é carismático no sentido de desenvolver os carismas.

 

Pe. Alírio Pedrini
(Retiro em Fátima, Novembro 1997)

 

 

[página anterior]

MAIO, MÊS DE MARIA, MÊS DO AMOR

Ele sabia que fracos como somos, precisaríamos sempre de uma poderosa intercessão junto dEle e também, que seria preciso alguém como nós, para nos chamar ao caminho e avisar permanentemente das nossas fraquezas

MARIA NO RENOVOVAMENTO CARISMÁTICO

O importante é que Maria é o protótipo da Igreja, e mais especialmente o modelo na sua relação com o Espírito e do impulso carismático de toda a vida eclesial, posta em evidência pela teologia pós-conciliar.

MARIA É FELIZ PORQUE ACREDITOU

A Mãe, por conseguinte, lembrada de tudo o que lhe havia sido dito acerca deste seu Filho, na Anunciação e nos acontecimentos sucessivos, é portadora em si mesma da «novidade» radical da fé: o inicio da Nova Aliança