Partilha Espiritual - Um exercício de amor

Votos de utilizador:  / 0
FracoBom 

 

 

A dimensão espiritual faz parte de nós mesmos, tal como a dimensão física, corporal, mental, e o que daí advém em termos de relação connosco próprios e com os outros. A nossa relação com Deus é uma relação bidireccional, e é feita na dimensão espiritual. Partilhar espiritualmente é expor aos irmãos essa relação, de um modo honesto e simples, apresentando-a na sua realidade boa e menos boa. A partilha espiritual é um processo eficaz de amadurecermos espiritualmente, como indivíduos ou em grupo. Ao partilhar as nossas experiências de Deus, aumentamos nos outros este nosso "conhecimento de Deus". O conhecimento de Deus é a convivência na Santíssima Trindade. Não é um conhecimento teórico, mas um convívio, em família, que a pouco e pouco nos incutirá a educação de Deus, através de uma pedagogia de Amor. Mas, não nos iludamos, teremos que passar do modelo teórico ao modelo prático: a prática do amor entre nós, com actos concretos, não só espirituais mas também com actos humanos de amor. Esse é o exemplo do próprio Deus.

Podemos abordar Deus do ponto de vista puramente espiritual, contemplando-O e adorando-O. Isto é necessário e vital para a nossa relação íntima com Ele. Adorá-Lo como Deus infinitamente grande porque se sabe humilhar tornando-se infinitamente pequeno. Adorá-Lo como Deus infinitamente rico, porque se sabe tornar infinitamente pobre, esvaziando-se em dádiva total. Adorá-Lo como misericórdia infinita, porque sabe perdoar infinitamente. Adorá-Lo como Amor Universal, porque se ama infinitamente, em cada uma das três Pessoas. É por isso que Deus é Trindade, para se amar em caridade. Se quisermos chegar à Trindade, temos que assumir este modelo: partilhar em Deus a nossa limitação e pequenez, para podermos chegar à Liberdade Infinita. 

Neste processo de santificação, temos que caminhar, amadurecer e purificar espiritualmente para podermos ficar na completa intimidade com Ela, a Trindade. Mas este processo não pode ser egoísta, fechado em nós, pensado só em termos de salvação pessoal. Tem de ser um processo de partilha, pois assim como cada elemento da Trindade se esvazia no Outro, assim os outros são a finalidade da nossa santificação. Deus quer que partilhemos desse Amor, desse estado de caridade. Porque Deus é caridade, dá-nos os carismas para sermos disso testemunhas. Por isso, temos que cultivar estes carismas nos outros, através da partilha.

Em termos de comunidade, não podemos pedir só ao Espírito Santo que nos transforme, que se efunda em nós e nos faça sentir os consolos de Cristo. Transformação espiritual implica mudança, caminhada contínua. E essa caminhada tem que ser feita em partilha com os outros, para que o Espírito Santo, que está nos irmãos, nos transforme através deles. Nas verdadeiras comunidades a partilha é completa, e o Espírito Santo é como uma nuvem, que envolve, como envolveu os seis no Tabor. Uma nuvem, seguramente de amor, que circula pelos corações, numa partilha transformadora, com o fim da santificação. A abertura do coração à partilha com os irmãos facilita este movimento do Espírito, que nos ensina já a sermos um só em Cristo. Assim, os irmãos espirituais devem ser vistos como elementos no plano de Deus para a nossa maturidade espiritual. E isto implica um desafio à verdadeira vivência do Evangelho. É o dar a outra face, percorrer duas milhas, dar a capa toda.

Os grupos de oração poderão ser uma boa escola de maturação e partilha espiritual. Mas os grupos são uma escola aquecida, com óptimas instalações, cadeiras, boa comida. Uma verdadeira tentação para uma partilha espiritual "em comodidade". Cristo, que não tinha onde reclinar a cabeça, não nos quer só assim. Isto será um treino. É no mundo, lá fora, que Deus quer que completemos a nossa obra, dando testemunho do nosso conhecimento de Deus. Partilhando com os outros o que Deus partilha connosco.
Os Evangelistas não escreveram, mas Cristo provavelmente terá dito: "Amai-vos, partilhai e transformai-vos uns aos outros, assim como eu partilho convosco, vos amo e vos transformo pelo Espírito Santo, para sermos todos um só com o Pai!"

 

Grupo Pneuma-Boa Nova

 

 

[página anterior]