Características de uma Oração Comunitária

Votos de utilizador:  / 0
FracoBom 

 

 

Não se trata da programação de uma reunião de oração, o que iria contra a sua própria natureza, mas sim de definir aquilo que deve ser comum nas diferentes reuniões de oração:

 

1. Oração carismática
No seio do Renovamento Carismático, uma oração comunitária deve ser uma oração carismática. Isto significa que cada um dos participantes na oração deve colocar humildemente ao serviço dos irmãos os carismas que o Senhor lhe confiou e que são para o bem comum.
Cada um deve participar activamente, orando, cantando, escutando, abrindo-se à acção do Espírito Santo e deixar-se conduzir por Ele, para que a graça passe através dele para os irmãos. Numa reunião de oração, o canto, as leituras, o ensinamento, os testemunhos, etc. devem ser impulsionados pelo Espírito Santo.
Os carismas são manifestações do Espírito Santo que quer renovar a Sua Igreja. Devem, pois, ser acolhidos como dádivas do Espírito Santo e ser instrumentos dessa força que vem do Alto, força transformadora e renovadora do povo de Deus. O louvor, a oração em línguas, a profecia, a oração de cura, palavras de sabedoria e de ciência devem fazer parte da reunião de oração. Quando estes sinais não aparecem devemos analisar o porquê da sua ausência.
É muito importante não resistir aos dons, porque isso pode pôr em causa o poder de Deus na edificação e no caminho para a santidade do Seu povo.
S. Paulo exortava na 1ª Tes. 5-19: “não apagueis o Espírito” e em 5,21-22: “Examinai tudo, guardai o que é bom. Afastai-vos de toda a espécie de mal.”

 

2. O amor
A experiência do amor do Pai faz de nós instrumentos de amor entre todos os que participam na oração, que são também filhos do mesmo Deus.
O amor entre os participantes é, não só a prova visível da manifestação do Espírito Santo, mas também um sinal da Sua presença. A atenção aos sinais de Deus é muito importante, sinais estes que devem ser transmitidos para edificação dos irmãos, porque constituem uma prova do amor circulando entre todos.

 

3. A alegria
A alegria é um fruto da presença do Espírito Santo. Por vezes é barulhenta, outras vezes é serena. Numa reunião de oração não existe tristeza. Em toda a oração há sempre um ambiente de alegria, seja por vezes com momentos de alegria explosiva, seja a alegria serena, ou mesmo profundo silêncio. O Senhor alegra-se com a nossa presença, nós também devemos demonstrar alegria de estar com Ele. Pode não ser uma alegria efusiva, mas uma alegria interior - o gozo de estar na presença do nosso Deus.

 

4. Participação espontânea
Uma das características da oração comunitária é a naturalidade com que o louvor brota do coração dos que nela participam.
Esta oração é uma benção para a comunidade porque cada um torna sua a oração dos irmãos. Assim, ela ajuda e alimenta a oração de todos.
Como se trata de uma oração participada, todos estão unidos àquele que reza, apoiando a sua oração, dando graças ao Senhor.

 

5. A paz
A segurança que nos dá a certeza da intervenção de Deus, do Seu poder e da Sua graça faz com que a paz reine no coração dos que participam na reunião de oração.
A paz e a tranquilidade que envolvem todos os que participam na oração são sinais da presença de Deus.

 

6. Entrega e compromisso de vida
A nossa oração comunitária deve projectar-se para o exterior e por isso integrada na Igreja. Os seus membros têm de estar atentos e disponíveis aos sinais de Deus colocando-se ao Seu dispor para cumprir inteiramente o Seu plano de renovação na Igreja.

 

7. As manifestações exteriores
Na oração está envolvido todo o nosso ser. É um todo que se dirige a Deus para O louvar, para O escutar. Por isso o levantar as mãos, o aplaudir, são manifestações que reflectem aquilo que de mais profundo existe no nosso ser.
Os gestos e as manifestações exteriores são sinais de que, totalmente libertos, sem respeitos humanos, proclamamos a nossa fé e glorificamos a Deus.

 

Lourdes Azinheiro
Pneumavita

 

 

[página anterior]