Testemunho - Jesus cura

Votos de utilizador:  / 0
FracoBom 

 

 

O meu marido, que era médico, tinha uma doença e os colegas tinham-lhe dado 5 anos de vida. Uma amiga minha, amiga pessoal da Irmã Lúcia, fazia penitência por ele e incitava-me a rezar. Ele foi vivendo, cerca de trinta anos, Graças a Deus.

 

Entretanto comecei a frequentar a Assembleia Pneumavita onde ia todas as terças-feiras. Fiz os Seminários de Vida Nova e a Efusão do Espírito.

 

Toda a minha vida mudou pois, apesar de ter sido sempre católica praticante, nunca tinha sentido a intimidade com Deus como passe a experimentar. Tive a cura do coração e comecei a perdoar sem ressentimentos.

 

Uma noite o meu marido disse-me que se sentia pior e começava a ter os mesmos sintomas de antigamente. Fiquei muito preocupada e pedi ao Senhor que o curasse e me desse uma doença, que não fosse muito grave mas apenas para eu sofrer.

 

Confesso que tenho dificuldade em suportar as dores físicas.

 

No dia seguinte eu tinha dores e um alto numa mão. O meu marido disse-me que se sentia bem.

 

O Senhor ouviu-me. Glória ao Senhor.

 

Fui ao médico reumatologista; mandou-me fazer radiografias e análises. Estas foram péssimas. Fiz também uma biopsia. O médico queria também fixar-me o pulso. Respondi-lhe que não e que iria rezar.

 

Comecei a fazer fisioterapia. A minha terapeuta que era uma óptima profissional dizia-me que ia melhorar mas não iria ficar com a mão a movimentar-se como a outra.

 

Eu afirmava que o Senhor estava vivo como há dois mil anos e que me curaria.

 

Entretanto fui tirar novas radiografias e análises e levei-as a uma nova médica fisiatra. Ele ficou admirada porte tanto as radiografias como as análises já estavam boas. A médica perguntou-me o porquê desta transformação. Eu contei-lhe o que tinha acontecido. Ao despedir-me dela, a médica pediu-me que eu não fizesse mais promessas destas. O mais extraordinário de tudo é que a minha terapeuta converteu-se através da minha mão.

 

Obrigada Senhor pelas maravilhas que Tu fazes. Os Teus desígnios são insondáveis. Glória ao Senhor

 

Maria Gabriela Morais

 

 

[página anterior]