Votos de utilizador:  / 0
FracoBom 

 

 

IMITAÇÃO DE MARIA THOMAS DE KEMPIS

Livro 1 - Descobrir Maria


Capítulo I - Como saudar a Virgem Gloriosa
Ainda que eu não tenha mérito algum e, ao contrário, esteja consciente dos meus muitos pecados, tenho no entanto uma enorme confiança na Tua paixão, Senhor Jesus, e nos méritos da Tua Mãe Gloriosa, Santa Virgem Maria. A propósito, se ela quiser deter-me um pouco, rogando para que eu seja digno, já que não posso aproximar-me da Sua pessoa sem antes ter obtido a Sua permissão. Bem sei que a minha indignidade não deve estar diante da dignidade sublime daquela a quem os anjos adoram com admiração, a exclamar:

“Quem é esta que se eleva acima da pobreza humana e transborda das alegrias do paraíso?”

Por isso, dulcíssima Maria, é inconveniente que sendo eu, pó e cinza, melhor dizendo, mais insignificante que o pó, por ser pecador e muito propenso a toda a maldade, me atreva a fazer uma pausa para contemplar a Tua beleza e a Tua magnificência. Tu, por outro lado no alto céu, tens o mundo aos teus pés e és digna de honra e reverência pela honra do Teu Filho.

A tua inefável bondade, que ultrapassa toda a imaginação, fascina-me e atrai o meu coração, porque és o consolo dos aflitos e estás sempre disposta a socorrer-nos, miseráveis pecadores.

Estou a precisar de grande consolo, sobretudo da graça do teu Filho, pois absolutamente, não me encontro em condições de me ajudar a mim mesmo. Mas Tu, misericordiosíssima Mãe, se te dignasses considerar a minha pequenez, poderias socorrer-me de muitas maneiras e confortar-me com numerosos consolos. Por isso, mal me sinta oprimido pelas dificuldades ou pelas tentações, imediatamente recorrerei a ti, já que onde superabunda a graça é mais solícita a misericórdia.

Logo, se quero realizar a tentativa de compreender a Tua excelsa glória e cumprimentar-Te dignamente desde o íntimo do coração, devo proceder com espírito bem mais puro, porque os que pretendem aproximar-se sem respeito de Ti, não obtêm graças senão uma justa vergonha.

Quem se aproxima de Ti deve comportar-se com muita reverência e humildade, no entanto, com grande esperança de ser atendido, em virtude da Tua misericordiosa clemência.

Portanto, vou a Ti com humildade e, reverência, com devoção e confiança, levando nos lábios a saudação de Gabriel; saudação que repito com alegria, com a cabeça inclinada por respeito e os braços abertos com grande devoção, rogando que seja repetido na terra e mais vezes ainda por toda a corte celestial. Não sei realmente o que possa ter de mais doce e mais digno para oferecer-Te.
E agora escuta também o devoto apaixonado do teu nome:
"O céu regozija-se e a terra maravilha-se, quando digo:
Ave Maria.Satanás foge, o inferno treme, quando digo: Ave Maria. O mundo torna-se, insignificante, a carne repugnante, quando digo: Ave Maria. Desaparece a tristeza e volta a alegria, quando digo: Salve Maria. Dissipa-se a tibieza e o coração inflama-se de amor, quando digo: Salve Maria. Aumenta a devoção, nasce o arrependimento, acentua-se a esperança, intensifica-se o consolo, quando digo: Salve Maria. O ânimo renova-se e reforça-se o empenho no bem, quando digo: Ave Maria".

É tão grande a doçura desta saudação bendita, que não se explica com palavras humanas. Na verdade é sempre mais elevada e profunda do que toda a criatura possa compreender. Por isso dobro uma vez mais os joelhos diante de Ti, Santíssima Virgem Maria, e digo:

"Ave Maria cheia de graça". Clementíssima Senhora minha, Santa Maria, aceita esta tão devota saudação, e com ela, aceita-me também, para que eu possa ter algo que seja do teu agrado, que fortaleça a minha confiança em Ti, que acenda em mim um amor cada vez maior, que me conserve para sempre devoto ao teu santo nome”.

Queira o céu que, para satisfazer o meu desejo de honrar-Te e saudar-Te eternamente, do fundo do coração, que todos os meus membros se transformem em línguas e as línguas em vozes de fogo. Mãe de Deus, gostava de poder dirigir-Te esta saudação como pura e santa oferenda de oração, em expiação de todas as minhas culpas, pelas quais tenho merecido a ira divina, tenho entristecido gravemente ao teu Filho, tenho desonrado e ofendido muito com frequência a Ti e a toda o corte celestial.
Dado que minha vida é frágil e decaída por causa de todos os meus excessos, de todas as minhas negligencias, de todos os vãos pensamentos, maus e perversos, queira o céu que todos os santos e as almas dos justos, com puríssima devoção e ardente oração, Te dirijam, ó Santíssima Virgem Maria, e repitam centenas de vezes em Tua honra a saudação com que o Pai, o Filho e o Espírito Santo, foram os primeiros a querer cumprimentar-te por meio do anjo . De alguma maneira, acharia assim um digno incenso de suave fragância, já que em mim nada há de bom para que mereça recompensa.

Mas agora eu me prostro diante de Ti, impulsionado por sincera devoção e completa veneração ao Teu doce nome e repito com alegria, aquela nova saudação, nunca ouvida antes, quando o Arcanjo Gabriel, enviado por Deus entrou na intimidade da Tua casa e dobrando os joelhos com reverencia, Te prestou homenagem ao dizer: "Salve, ó cheia de graça, o Senhor está conTigo". Desejo, em consonância com o belo costume dos fiéis e na medida do possível, com os lábios puros, dirigir-te esta saudação, como também desejo, do fundo do coração, que digam, da mesma forma, todas as criaturas: "Ave Maria, cheia graça, o Senhor é convosco. Bendita és Tu entre todas as mulheres e bendito é o fruto do Teu ventre, Jesus. Amém ".

Esta é a saudação angélica, construída pela inspiração do Espírito Santo, de todo adequada à Tua dignidade e à Tua santidade.

É uma oração pobre em palavras, mas rica em mistérios. Breve como um discurso, mas profunda em conteúdo; mais doce que o mel e mais preciosa que o ouro, digna de repetir-se frequentemente de todo o coração, devotamente e com os lábios puros, porque, ainda que seja o resultado de muito poucas palavras, espalha-se num vastíssima torrente de suavidade celestial.

Mas ai daqueles que se aborrecem, que rezam sem devoção, que não refletem sobre suas palavras mais valiosas que o ouro, que não saboreiam seus copos de mel, que tantas vezes recitam na Ave Maria, sem atenção nem respeito. Ó Santíssima Virgem Maria, preserva-me de uma tão grave negligencia e falta de atenção, perdoa o meu desempenho passado. Serei mais devoto, mais fervoroso e mais atento ao recitar a Ave Maria, qualquer que seja o lugar em que eu possa encontrar-me.
Agora, depois destas considerações, o que pedir-Te, minha muito querida Senhora? Para mim, indigno pecador.

Há algo melhor, mais útil, mais necessário, do que encontrar, graça adiante de Ti e do teu amadíssimo Filho? Portanto, peço a Graça de Deus por tua intercessão, já que, como afirma o anjo, tu encontraste a plenitude da Graça diante de Deus.

Nada do que peça é mais precioso que a Graça, nem tenho necessidade de nenhuma outra coisa fora dela e da misericórdia de Deus. Basta-me a sua Graça e não preciso nada mais: sem efetivamente a Graça, que resultado teria qualquer esforço meu?
No entanto, que pode ser para mim impossível, se me assiste e me ajuda a Graça? Tenho muitos e diferentes defeitos espirituais, mas a Graça de Deus é uma medicina eficaz contra todas as paixões, e se ele se digna em socorrer-me, irá atenua-las todas.
Adoeço assim mesmo de pobreza em sabedoria e em ciência espiritual, mas a Graça de Deus é suprema maestra e dispensadora da disciplina celestial. Portanto, Ela basta-me para instruir-me em todos os assuntos necessários, e desmotiva-me a procurar qualquer coisa fora do necessário, e de querer conhecer temas para além do lícito. Porém adverte e ensina a humilhar-se e a contentar-me somente com Ela.
Ó clemente Virgem Maria, consegue-me com tuas orações esta graça, que é tão nobre e preciosa: que eu não deseje nem peça nada mais que a Graça pela graça.

 

{jcomments on}