c jmessias

 

JESUS É O MESSIAS

Emiliano Tardif \ José H. Prado Flores

 

 

Apresentação

Começámos a preparar estas páginas em 1985.

Com muito cuidado íamos seleccionando e arquivando os melhores testemunhos e cartas que recebíamos.

Numa ocasião convidaram-me para pregar uma série de retiros na Venezuela. Ao sair de casa, peguei com muito cuidado na minha pasta com uns 30 belos testemunhos das curas mais interessantes dos últimos anos, com o fim de as entregar ao meu companheiro de pregação, com quem ia escrever ao mesmo tempo o nosso livro.

Tivemos primeiro um retiro para sacerdotes em Los Teques e em seguida outro para líderes da Renovação Carismática.

No último dia, o Arcebispo de Barquismeto levou-nos no seu automóvel a Caracas, para um Estádio onde se reuniam mais de 10.000 pessoas para escutar a Palavra do Senhor.

Pregámos num ambiente de muito fervor e recolhimento. A fé daquela gente era tanta que começaram a ficar curados alguns enfermos, ainda antes que fizéssemos a oração de cura.

Ao terminar estávamos cansados, porém muito contentes naquela região, onde está viva a figura do Libertador Simon Bolivar que exclamou: "Não descansarei até que veja o meu povo livre".

Ao sair do estádio e dispor-nos a descansar, vimos que ladrões tinham aberto o carro e levado todas as nossas coisas: a minha mala com as minhas coisas, a minha bolsa de mão com o meu passaporte e os bilhetes de viagem. Tudo tinha desaparecido.

O que mais me doeu, no entanto, foi perder aquela pasta cheia de valiosos testemunhos. Disse, então, ao Senhor:

"Senhor, se queres que escrevamos este novo livro, vais ter que fazer mais curas. Aqueles testemunhos podem perder-se, mas Tu não Te podes perder".

As páginas seguintes são uma resposta do Senhor a essa oração, mas são, antes de tudo, um testemunho do que Deus está fazendo no mundo que tanto ama. Ele não Se perdeu, ao contrário, parece que multiplicou os sinais, prodígios e milagres que acompanham a proclamação da vitória de Cristo Jesus sobre o pecado e a morte.

O Senhor Jesus não descansa até ver o Seu povo completamente livre: livre do pecado e da morte, livre da opressão e do cativeiro.

São Domingos, República Dominicana, 25 de Março de 1989

Emiliano Tardif M. S. C.

 

Introdução

Jesus é o Messias e não devemos esperar outro.

Nele cumprem-se os sinais proféticos que identificam o Messias, Salvador do mundo.

Não há outro nome dado aos homens para serem salvos.

Não há outro mediador entre Deus e os homens senão Jesus Cristo, o Senhor, que tem todo o poder no céu e na terra e que enviou a Sua Igreja a anunciar a Boa Nova de salvação e instaurar o Reino de Deus.

Estas páginas são um pulo para o Evangelho, que é o mesmo ontem, hoje e sempre, mostrando como Jesus Ressuscitado continua dando provas de que está vivo e vivifica os que crêem no Seu Nome.

Por último, devo confessar que em cada página procurámos centrar-nos só em Jesus e em nenhuma pessoa mais.

Teríamos demasiado material, e às vezes tantos reconhecimentos, que devemos salientar desde agora o que uma ou outra vez repetiremos em cada página: o Padre Emiliano nada mais é que o burrinho do Domingo de Ramos que leva Jesus por toda a parte.

O ministério do Padre Emiliano é como o dedo de João Baptista, que nos indica com clareza:

"Jesus é o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo".

Mantenhamos, pois, os olhos fixos em Jesus, e só em Jesus.

Não olhemos para o Padre Emiliano, mas para Aquele para quem ele olha: Jesus, o Messias, que continua a mostrar hoje em dia os sinais que O identificam como o Messias prometido que haveria de salvar este mundo.

O mundo de hoje não necessita de um novo Evangelho, mas de uma Nova Evangelização com o poder do Espírito Santo, acompanhada de curas e milagres, que mostrem a vitória de Cristo Jesus sobre o pecado, a enfermidade e a morte.

 

Guadalajara, Jal., 15 de Março de 1989

José H. Prado Flores

 

 

[página anterior]     [índice]