A semente, acolhida em Roma, germinou em Fátima

 

 

Em Portugal, o Renovamento Carismático Católico germinou em Fátima, no dia 6 de Novembro de 1974. Eis como tudo se desenrolou:
No dia 28 de Maio, na última reunião em que participei, no Grupo Hossana em Roma, alguém "profetizou" que a faúlha que eu levava de Roma, se iria propagar em Portugal. Depois da minha confidência à Irmã Maria Gonçalves SNSF, no dia 15 de Outubro, aceitei o convite que ela me fez para uma recolecção, no dia 6 de Novembro, à tarde e à noite, na Casa de Nossa Senhora do Carmo, do Santuário de Fátima. Participaram neste encontro 11 pessoas, com as quais o Senhor Bispo de Leiria, D. Alberto Cosmo do Amaral pretendia criar o núcleo central do CORIMA (Coração Imaculado de Maria) para a difusão da mensagem de Fátima.



germina-1

Cheguei ao Santuário de Fátima ao princípio da tarde e, com a Irmã

 

 

 

Maria Gonçalves, programei o encontro:
Das 17h às 18h rezámos na Capelinha das Aparições. Neste lugar, como havia

feito no dia 15 de Outubro, entreguei ao Coração Imaculado de Maria esta

chama de Fogo Novo que trazia de Roma e que só desejava que

alastrasse. Consagrei o Renovamento Carismático a Nossa Senhora e pedi a

sua presença e benção para esta primeira reunião carismática que, ali aos

seus pés, estávamos a iniciar...

Pelas 18.30h reunimo-nos numa sala da Casa de Nossa Senhora do Carmo e,

depois de uma breve oração e invocação do Espírito Santo,

fiz a introdução ao Encontro, contando como o Renovamento Carismático

surgiu na Igreja Católica, concretamente na Universidade

Espiritana de Duquesne-Pittsburg, Estados Unidos, como fruto do Vaticano II.

Partilhei também com o grupo, um pouco da minha experiência em Roma. Pelas 19.30h, em volta da mesma mesa, partilhámos uma

refeição fraterna, apresentámo-nos uns aos outros e, até às 21h, convivemos.


Se a memória não me falha participaram nesta recolecção, à tarde e depois à noite: Irmã Maria Gonçalves, Cónego Perdigão, P.e Manuel Couto, P.e Manuel Antunes,

P.e Francisco Vermelho, P.e José Morais, P.e Pedrosa, Rosa Maria Nogueira, Irmã Maria Laíde, Irmã Maria do Céu Farinha, Irmão Jorge e eu, P.e José da Lapa,

Missionário do Espírito Santo.

 

Pentecostes em Fátima

Naquela noite de 6 de Novembro de 1974, durante aquele tempo de Cenáculo, vigília que se prolongou das 21.00h às 24.00h, aconteceu um pentecostes pessoal e comunitário, naquela pequena Sala de Visitas, junto da Capela da Casa de Retiros de Nossa Senhora do Carmo, naquele lugar, onde agora passa, subindo e descendo, um grande elevador...

As componentes de uma reunião de oração carismática (Acolhimento, Animação/Libertação, Invocação do Espírito Santo, Louvor, Adoração e Acção de graças, Leitura e Meditação da Palavra, Testemunho, Partilha, etc.) já eu as havia dado e explicado na introdução desta Recolecção. 

Num clima de profunda paz e união fraterna, este pequeno grupo cantou com fé e alguma expectativa "Eu Louvarei..." e algum tempo depois invocou o Espírito Santo, cantando: "Vem Espírito de Deus, vem-nos conduzir...". A consciência e a sensação de que Cristo vivo e ressuscitado estava presente no nosso meio era quase palpável. Actualizámos, ali e naquele momento, a palavra de Jesus: "Onde dois ou três estiverem reunidos em Meu nome, Eu estarei no meio deles!" Foi lido e saboreado o salmo 22: "O Senhor é o meu Pastor, nada me pode faltar...". Textos da Festa de Pentecostes foram proclamados, partilhados e vivenciados, nomeadamente o Evangelho de Jo 20,15-23 (a paz esteja convosco) e o texto de Pentecostes Act 2,1-11.

Em espírito, voámos até ao Cenáculo de Jerusalém e, em união com Maria, com os Apóstolos, as Santas Mulheres e os Discípulos, rezando uns pelos outros, vivemos a experiência de Pentecostes, que iniciou a Igreja de Jesus Salvador e Senhor, que veio trazer fogo à Terra e que só deseja que ele alastre... Na pobreza, na simplicidade e na disponibilidade destes irmãos eu vi e atesto que, naquele pequeno Cenáculo, Jesus se manifestou e que "todos ficaram cheios do Espírito Santo": aconteceu, inesperadamente uma verdadeira "efusão do Espírito Santo", renovação actualizada da graça baptismal...

Na parte final, ao apresentarmos as nossas intenções e súplicas, o P.e Manuel Couto, na altura pároco de Cós (Alcobaça) e agora pároco em Celorico de Basto (diocese de Braga) pediu oração a todo o grupo informando: "ao vir para Fátima, uma senhora da minha paróquia, a chorar, pediu-me para rezar em Fátima por uma criança, sua filha, de tenra idade, que a brincar meteu as mãos e a cara numa tina de cloreto. Ficou com graves queimaduras, sendo atingida nas mãos, na cara e nos olhos, estando, no dizer do médico, na iminência de ficar cega..." Rezámos por esta intenção e tomámos o compromisso de continuar a rezar a Jesus, através de Nossa Senhora de Fátima, para que o "milagre" de cura acontecesse nesta criança...

Terminámos esta oração comunitária, cantando, de mãos dadas, o Pai Nosso. Consagrámo-nos a Nossa Senhora e cantámos, tendo como refrão o Avé de Fátima:

A seis de Novembro,
Na Cova da Iria,
O Renovamento
Floriu em Maria!
Avé,avé,avé Maria!...

Sem planos a longo prazo, comprometemo-nos a viver e a reviver em oração esta experiência de Vida Nova no Espírito e marcámos um próximo encontro já mais aberto, para o 2º Domingo de Dezembro.
Entretanto, este pequeno grupo começou a reunir semanalmente em oração.

 

No Santuário de Fátima, a faúlha do Espírito torna-se fogueira de Vida Nova

 

germina-2

No 2º Domingo de Dezembro, dia 8, Festa da Imaculada Conceição, com

alguns irmãos de Lisboa, voltei a Fátima para vivermos uma Assembleia

de Oração Carismática.

Os irmãos e irmãs que participaram na reunião do dia 6 de Novembro

convidaram outras pessoas: sacerdotes, religiosos/as e leigos,

estacando-se um bom punhado de jovens, seminaristas, noviços/as

das Casas Religiosas de Fátima. Cerca de cem pessoas

particiaram nesta reunião semi-aberta, na Casa de Nossa Senhora do Carmo.

Os cânticos jubilosos ressoaram na sala e, sobretudo, nos corações.

Havendo tanta gente de novo, senti o imperativo de desenhar, a traços largos,

as coordenadas fundamentais do Renovamento Carismático Católico.
Um tempo de oração e cânticos de louvor, conforme o espírito do

Renovamento, foi a preparação próxima para a Eucaristia da

Imaculada Conceição.

Comigo vários sacerdotes concelebraram esta Missa festiva e toda a

Assembleia participava, rezando, cantando e exultando de alegria.

A Irmã Maria Gonçalves primou não só arranjando a sala e decorando o altar, mas também coordenando com simplicidade e discrição toda a liturgia.
No fim desta "Missa Carismática" houve testemunhos belos e interpelantes.
A paz, a alegria, a unidade e o amor eram como contas de um rosário que nos unia, "num só coração e numa só alma."

Quase a concluir este tempo de testemunhos, o P.e Manuel Couto, pároco de Cós (Alcobaça), pediu a palavra e testemunhou:

"O P.e Lapa e os irmãos e irmãs que estiveram no nosso encontro de 6 de Novembro lembram-se de eu ter pedido oração intensa pela cura de uma criança gravemente queimada nos olhos, na face e nas mãos, quando meteu as mãos e a cara numa tina de cloreto. Os médicos julgavam-se impotentes para livrar a pobre criança da cegueira. Louvo o Senhor pela oração dos irmãos do grupo inicial que acreditaram na palavra de Jesus: "tudo o que pedirem com fé, na oração, vós o alcançareis". Hoje, passado um mês e dois dias, posso testemunhar que Deus ouviu a nossa oração, Ele deu-nos o sinal da Sua força e da Sua presença, curando totalmente esta criança. A criança vê perfeitamente e as cicatrizes, nas mãos e na face, praticamente desapareceram. A alegria inundou o coração dos pais e da família desta criança. Com este sinal que Jesus nos deu, através da intercessão de Nossa Senhora, eu creio que o Renovamento Carismático tem o selo de Deus e que a Graça de Pentecostes vai também acontecer em Portugal."
Toda a Assembleia exclamou: "Glória a Ti Senhor!" E cantou: "Graças Senhor!"

O pequeno grupo de Fátima, que depois se baptizou com o nome "Coração Imaculado de Maria" (CORIMA), coordenado pela Irmã Maria Gonçalves, pela Rosa Maria Nogueira, primeira jovem do Renovamento em Portugal, pelo Cónego Perdigão, pelo Irmão Jorge, dos Maristas, pediu-me para, durante algum tempo, ir mensalmente a Fátima para orientar estas Assembleias.
Ficou assente que aos terceiros Domingos, da parte da tarde, se realizassem Assembleias abertas. Para o mês de Janeiro ficou marcada a tarde do dia 19.
 


Janeiro de 1975 - 2ª Assembleia em Fátima

 

No dia 19 de Janeiro desloquei-me, de novo, a Fátima, com mais 7 irmãos/as do grupo com o qual no dia 5 de Janeiro de 1975, na Casa dos Missionários do Espírito Santo, se iniciou o Renovamento Carismático Católico em Lisboa. (destes acontecimentos falaremos mais tarde).
Qual não foi o nosso espanto, ao entrar no grande salão da Casa de Nossa Senhora do Carmo e ver que ali estavam congregadas mais de 200 pessoas.
Durante a refeição na Casa de Retiros, antes da Assembleia, veio ao meu encontro um Bispo da América Latina, exactamente o Arcebispo de S. Francisco-Argentina, que manifestou o desejo de participar na Assembleia Carismática que teria início às 15h. Manifestei-lhe a nossa abertura, gratidão e alegria. Nessa tarde realizamos uma Assembleia de Louvor, com ensinamentos sobre as componentes fundamentais de uma Reunião de Oração e testemunhos de vida nova de irmãos de Fátima, de Leiria, de Lisboa e de outras partes.

Na parte final o Senhor Arcebispo de S. Francisco deu-nos uma palavra de encorajamento e confessou que, antes desta reunião, tinha preconceitos a respeito da "Renovación Carismática", mas que durante a Assembleia de Oração os preconceitos desapareceram completamente. Deu graças a Deus e a Nossa Senhora de Fátima pela luz que se fizera, naquele momento, em seu espírito. O Renovamento Carismático, que ali em Fátima o envolveu, parecia-lhe ser uma poderosa manifestação do Espírito Santo, para ele e sua acção pastoral, para a Igreja e para os nossos tempos. Disse ter encontrado, ali, a resposta de Deus para os seus anseios apostólicos.

As reuniões em Fátima, continuaram sob a orientação da Irmã Maria Gonçalves (que mais tarde viria a fundar, a partir do Renovamento e como seu fruto, a Comunidade para os Sem-Abrigo "Vida e Paz"...), da Maria Rosa Nogueira, do Cónego Perdigão e do Irmão Jorge, em profunda união e colaboração com o primeiro grupo de Lisboa que, depois, se viria a chamar PNEUMAVITA.
Do grupo de oração CORIMA começaram a saltar faúlhas deste fogo novo para a Marinha Grande, Leiria e outros pontos da região.
A partir do mês de Maio de 1975, depois do Congresso Internacional de Roma, no qual participámos 17 portugueses, as actividades do Renovamento Carismático em Fátima, com a colaboração do grupo CORIMA, começaram a ter uma projecção nacional, sempre acompanhadas e abençoadas pelo Senhor D. Maurílio de Gouveia, na qualidade de Presidente da Comissão Episcopal para o Apostolado dos Leigos.

 

 

Fátima, 6.11.2002
P.e José da Lapa
Missionário do Espírito Santo

 

 

 

[página anterior]