Primórdios do Renovamento Carismático em Coimbra

 

 

"Eis que vou realizar uma obra nova.Já desponta, não a vedes? No deserto traçarei uma estrada e rios brotarão na solidão!"(Is 43,18-19)

Estas palavras proféticas de Isaias, começavam a concretizar-se de modo extraordinário e imprevisto em Fátima, em Lisboa e depois na Diocese do Porto, como relatei nos números anteriores. O impacto a nível nacional era cada vez maior, daí os apelos que chegavam de vários lados para que esta semente de vida nova aí fosse lançada e pudesse germinar...


O INÍCIO DO RENOVAMENTO CARISMÁTICO, EM COIMBRA, FOI ASSIM:

Em fins de Fevereiro, recebi dois convites de Coimbra: o primerio da L.E.C. (Liga Escolar Católica) da Escola Magistério Primário de Coimbra. O segundo, quase simultâneo, da Irmã Virginia, Directora Geral do Instituto das Servas do Apostolado. Ambos vinham no mesmo sentido. Pediam para orientar um Retiro, na linha carismática, na Casa de Retiros da Diocese, de 19 a 22 de Março de 1975 e realizar uma reunião de oração carismática.
Depois de rezar, de reflectir e de me aconselhar respondi afirmativamente.

Naquele tempo, em união e colaboração com o Pe. José Felício, Director da L.I.A.M., eu ia com frequência fazer reuniões e orientar actividades espirituais e missionárias nas Escolas do Magistério Primário, onde era grande, entre os professores, o entusiasmo pelas missões.

Respondi à Irmã Virgínia e á Presidente da L.E.C.F. que iria no dia 19. E fui. Sugeri que se fizesse uma reunião para os professores/as que iam participar no Retiro e para as Servas do Apostolado. Estas convidaram outras pessoas da cidade. Pelas 15.00h, fez-se esta reunião na Casa das Irmãs da Sagrada Família, que generosamente abriram as portas e, das mais variadas formas, colaboraram. Este primeiro encontro teve por finalidade contar, sumariamente, a história do Renovamento Carismático no Mundo, apontar, em traços largos, as coordenadas e a dinâmica do Renovamento Carismático e relatar um pouco o modo como esta espiritualidade de Pentecostes se iniciou em Fátima, em Lisboa e no Porto. Antes de terminar a reunião, à luz do texto que relata a vinda do Espírito Santo sobre os Apóstolos e primeiros cristãos, reunidos no Cenáculo (Act 2.1...) fizemos um tempo de oração, pedindo pelo Retiro que ia começar e para que este fogo novo descesse sobre a Diocese de Coimbra, como em novo Pentecostes. De comum acordo ficou resolvido que no dia 22 (Domingo) após o almoço, e concluindo o Retiro, nos reunissemos todos, no mesmo lugar, para uma Assembleia Geral de louvor e de testemunho...


Primeiro Retiro do Renovamento em Portugal

Ao fim do dia 19, festa de S. José, iniciou-se o Retiro para o qual eu havia sido convidado. Realizou-se na Casa de Retiros da Diocese e nele participaram cerca de 40 professores e alunos e mestres da Escola do Magistério Primário de Coimbra.

O tema central para este primeiro retiro do Renovamento foi a palavra dos Actos dos Apóstolos, Cap. 2,4: "TODOS FICARAM CHEIOS DO ESPÍRITO SANTO."

Os participantes já estavam preparados, através da reunião da tarde, para fazer esta caminhada de fim de semana, dentro do espírito e dinâmica do Renovamento Carismático. Não vou relatar, aqui, em pormenor o que se fez e como os retirantes acolheram e se abriram à acção do Espírito Santo. Mas posso dizer que as linhas mestras deste Retiro foram as que se costumam utilizar nos Seminários de Vida Nova no Espírito, preparando a "Efusão ou Baptismo no Espírito" que, fundamentalmente, é a renovação consciente e responsável do Sacramento do Baptismo, habitualmente recebido em criança. Os sub-temas de reflexão e oração: 
"o amor de Deus" "a conversão e aliança""a vida nova em Cristo" prepararam a noite de vigília, de adoração, de cura e de libertação, durante a qual se rezou por todos e por cada um para que o Espírito Santo se manifestasse, como se manifestou há dois mil anos, no Cenáculo de Jerusalém, onde "todos ficaram cheios do Espírito Santo". Isto aconteceu, de modo extraordinário e imprevisível, naquele retiro espiritual.

As orações de Laudes e Vésperas, as Eucaristias e tempos de Adoração eram participadas por todos. O clima de fraternidade e de partilha eram o complemento normal para que aquele grupo se sentisse uma comunidade animada pelo Espírito. Tudo o que estava a acontecer naquele cenáculo preparava os corações para acolher os ensinamentos finais, sobre a 
Comunidade e a Transformação em Cristo...

Os testemunhos que deram, oralmente ou por escrito, autenticavam a presença de Jesus vivo, ali, no nosso meio, e a acção poderosa do Espírito Santo que derramou, em profusão os seus dons, frutos e carismas sobre esta pequena Assembleia onde realmente havia 
"um só coração e uma só alma".

Transcrevo aqui, como ressonância, a carta e testemunho de uma professora que reencontrei em 2003 e que participou neste retiro:


Vª Nª de Tazem
18.03.2003

Padre Lapa
È sempre muito bom voltar a ver amigos que há tanto tempo não se viam, como entre nós, agora aconteceu. Que este reatar de amizade faça, realmente, parte dos planos de Deus para sempre podermos louvá-LO e bendizê-LO.

Só hoje depois de algumas pesquisas, para encontrar os apontamentos desse inesquecível retiro (mais algum tempo para os ler, organizar ideias e, por fim, escrever) só hoje, digo, me é possível enviar o testemunho (recordação) que me pediu. 

Quero agradecer o envio das revistas. Estou a ler pausadamente, um bocadinho em cada dia porque são muito profundas nos seus conteúdos.

Saudações amigas e fraternas da Maria Adelina Carvalho

TESTEMUNHO - RECORDAÇÃO

No ano de 1975 estava no distrito de Leiria, concelho de Pombal, a exercer a minha profissão de professora do Ensino Primário - hoje 1º Ciclo do Ensino Básico - na freguesia de Santiago de Litém, onde residia. Tinha 34 anos.

Anualmente, nas férias da Páscoa, o Movimento Escolar Católico efectuava um Retiro no qual, eu, quase sempre participava.

Nesse ano o Retiro foi orientado pelo Missionário Espiritano Padre José da Lapa (sem o distanciamento de Reverendo... porque é um AMIGO).

Para mim esse Retiro foi um verdadeiro Retiro/Surpresa! Pelos temas e seu conteúdo, visando sempre um sentido prático: A CONVERSÃO. 

Seu itinerário, passando pela coragem de cada um se pôr em causa para uma mudança radical. Mudança que deveria levar-nos a ser PRESENÇA QUALIDADE, PRESENÇA ACTUANTE, PRESENÇA DOM (à semelhança de Cristo).

. Unidade na multiplicidade dos CARISMAS. (Carisma - dom concedido pelo Espírito Santo para a EDIFICAÇÃO E A UNIDADE DA IGREJA).
. CORPO MISTICO - Solidários uns com os outros, unidos a Cristo.
Estou a lembrar alguns temas dos muitos que ao longo desses dias tivemos a Graça de ouvir e aprofundar.

Foi também para mim Retiro/Surpresa pela metodologia nele utilizada: duas ou três perguntas no final de cada tema para uma maior interiorização e para que deles pudessemos tirar proveito no aspecto humano e espiritual.

Por fim a surpresa máxima: eis-nos na Eucaristia final a fazermos ORAÇÃO CARISMÁTICA!... Tocante esse momento porque cada um de nós se exprimia conforme o Espírito Santo nos inspirava:

Orações de louvor, cânticos de adoração e de alegria, actos de Fé simples ou inspirados em algumas passagens do Evangelho. Pela acção do Espírito, Cristo estava no meio de nós e irmanar-nos, a fortalecer-nos, a inundar-nos de alegria... Todos ficámos cheios do Espírito Santo!
Surpreendente Retiro da Páscoa de 1975! Surpeendente e inesquecível!...

Glória a Ti Senhor!

Maria Adelina Carvalho



Como estava combinado, no dia 22, Domingo, pelas 15.00h, realizou-se na Casa das Irmãs da Sagrada Família, uma Assembleia Geral. Aos participantes do Retiro juntaram-se mais cerca de 30 pessoas que acompanharam as Servas do Apostolado ou que foram convidadas pelas Irmãs da Sagrada Família.

Foi uma tarde de Louvor, com a celebração da Eucaristia.
Assim se encerrava o Retiro e se iniciava, em Coimbra, esta "obra nova" que depressa se propagou por toda a Diocese.
Os testemunhos dos retirantes foram interpelantes. 
Como noutras partes todos perguntavam:
 quando podemos voltar a reunir?

Finda a Eucaristia, com grande surpresa nossa, estava preparado um lanche de confraternização, no refeitório da Casa da Sagrada Família. A casa de Retiros foi a maternidade e a Casa da Sagrada Família o berço do Renovamento Carismático, em Coimbra. A Irmã Virgínia, Directora Geral das Servas do Apostolado, com os responsáveis da realização do Retiro, de antemão aprovado pelo Senhor Bispo, foram delegados para falar pessoalmente com o Senhor D. Manuel Almeida Trindade, Bispo da Diocese, relatando o sucedido e pedindo autorização para continuar com estes encontros do Renovamento Carismático. O Senhor Bispo concordou e abençoou esta iniciativa. As reuniões continuaram a realizar-se, periodicamente, na Casa da Sagrada Família. Passados alguns meses, dada a grande afluência de pessoas, os encontros mensais começaram a realizar-se na Quinta do Almegue das Servas do Apostolado...


O Renovamento Carismático penetra no Seminário Maior de Coimbra

Foi constituída uma Equipa de Serviço, coordenada pelas Irmãs Servas do Apostolado (Virginia e Josefa) com a colaboração de três professores/as da Escola do Magistério Primário e pelo enfermeiro António Luciano dos Santos Costa, que, posteriormente, entrou no Seminário e actualmente desempenha funções sacerdotais na Diocese da Guarda.

O Renovamento começou a crescer e a frutificar tanto na cidade de Coimbra como noutros pontos da Diocese.
A brisa suave desta espiritualidade de Pentecostes, não sabemos de que modo, penetrou no Seminário Maior de Coimbra.