Antecedentes

 

 

Os primeiros movimentos Carismáticos 

O Renovamento Carismático não é algo completamente novo na vida da Igreja. Ao longo dos séculos conheceram-se muitas renovações, avivamentos (revivalismos) ou despertares. A maioria dessas renovações ou reformas surgiram por uma certa nostalgia da vida da Igreja primitiva, uma Igreja transbordante de Espírito e de carismas.  [Ler +]

 

 

Os Papas Leão XIII e João XXIII

Já desde os finais do século XIX, o Papa Leão XIII tentou sensibilizar a Igreja para a acção e a presença do Espírito Santo. Nisto teve uma grande intervenção uma religiosa chamada Soror Elena Guerra, fundadora das Irmãs Oblatas do Espírito Santo, cuja finalidade era promover a devoção ao Espírito Santo.  [Ler +]

 

 

O Concilio Vaticano II - um novo pentecostes para a Igreja

Ao fazer a história das origens do Renovamento Carismático, parece quase inevitável referir-se a oração que o Papa João XXIII compôs por ocasião da convocação do Concílio Vaticano II em que dizia, entre outras coisas: “Digne-se o Divino Espírito escutar da forma mais consoladora a oração que sobe a Ele desde as profundezas da terra  [Ler +]

 

 

A Primeira experiência Carismática

Enquanto a Igreja suplicava por um novo pentecostes e começava a vivê-lo a nível da hierarquia, uma faúlha insignificante começou a acender-se nos Estados Unidos. O Renovamento Carismático está ligado, desde as suas origens, a duas Universidades católicas americanas: de Duquesne, em Pittsburg (Pensilvânia) e de Notre Dame, em South Bend (Indiana).   [Ler +]

 

 

A Cruz e o Punhal

Em Agosto de 1966 realizou-se em Kansas City, no estado de Missouri, EUA, a Convenção Nacional dos Cursilhos de Cristandade, na qual estiveram presentes Ralph Keifer e William Storey, dois professores leigos da Universidade do Espírito Santo de  [Ler +]